Dois em cada três são a favor do fechamento de escolas, aponta Datafolha

Maioria defende também restrição de horário de comércio e fechamento de bares e restaurantes

O fechamento de escolas como maneira de conter o avanço da Covid-19 é defendido por 66% da população brasileira, aponta pesquisa Datafolha, que mostra que a maioria das pessoas é a favor também de restrições em bares, restaurantes, lojas e academias, entre outros estabelecimentos.

As escolas, que quase sempre reúnem uma pequena aglomeração em um espaço fechado e com pouca ventilação, foram dos primeiros estabelecimentos a fechar, no caso de São Paulo, desde março.

Nesta quinta, 17, o governo de São Paulo anunciou que as escolas serão consideradas serviços essenciais e que permanecerão abertas mesmo que o estado volte à pior fase da pandemia. Maioria é a favor do fechamento de escolas, bares e redução de comércio, mas se divide sobre igrejas.

A pesquisa Datafolha mostra que mulheres são as que mais defendem o fechamento de escolas: 71%, contra 59% dos homens. Por outro lado, quanto maior a renda, mais o entrevistado se coloca contra o fechamento: 51% dos que ganham acima de dez salários mínimos se posicionam contrários à medida, número que cai para 29% quando considerados os que ganham até dois salários mínimos.

A maioria dos brasileiros se posiciona a favor do fechamento de lojas, restaurantes e bares (55%) e do fechamento de serviços como academias, salões de beleza e escritórios (59%). A única coisa que realmente divide o brasileiro é o fechamento de igrejas — em geral, boa parte também lugares fechados com aglomerações. Ao todo, 49% dos entrevistados se disseram contrários a medida e outros 49% se disseram favoráveis.

A pesquisa Datafolha foi feita entre 8 e 10 de dezembro com 2.016 brasileiros adultos em todas as regiões e estados do país, por telefone, com ligações para aparelhos celulares (usados por 90% da população). A margem de erro é de dois pontos percentuais.

Leia na íntegra: Folha de S. Paulo

Compartilhar