Minoria barulhenta é quem pede adiamento do Enem, diz ministro da Educação

“O adiamento do Enem vai fazer muito mais mal para a sociedade e para os jovens do que a manutenção”, declarou o ministro à CNN Brasil

O ministro da Educação, Milton Ribeiro, afirmou à CNN Brasil que as datas do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) estão mantidas e que uma “minoria barulhenta” é quem pede o adiamento das provas – o assunto foi repercutido em matéria do UOL. Na terça-feira (12), uma decisão da Justiça Federal de São Paulo negou o adiamento das provas.

“Não vamos adiar [o Enem], tomamos todos os cuidados de biossegurança. Queremos dar segurança para quem vai fazer a prova. Não podemos selar a vida, as expectativas dos estudantes. (…) É uma minoria barulhenta que pede o adiamento”, declarou o ministro em entrevista à rede CNN Brasil na manhã desta terça-feira.

O Enem 2020 estava marcado inicialmente para novembro do ano passado, mas foi adiado para este ano por causa da pandemia do coronavírus. A prova será aplicada na versão impressa nos dias 17 e 24 de janeiro e, na versão digital, em 31 de janeiro e 7 de fevereiro.

Entre os cuidados tomados para evitar a propagação do vírus Ribeiro citou o maior número de salas para a realização da prova e o distanciamento entre os estudantes. Além disso, os portões nos locais de prova serão abertos mais cedo para evitar aglomerações.

Leia na íntegra: UOL

Compartilhar