TCE dá prazo para governo de SC detalhar estoque de insumos da vacinação contra a Covid-19

O Estado está entre os que estão com quantidades insuficientes de seringas e agulhas para a vacinação

O governo de Santa Catarina terá que detalhar em dois dias o estoque de insumos para a vacinação contra o coronavírus, como expõe matéria da NSC. O prazo foi dado pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE-SC) em ofício enviado na última quinta-feira, 14. O Ministério da Saúde, em documento enviado ao Supremo Tribunal Federal (STF), colocou SC entre os Estados que estão com quantidades insuficientes de seringas e agulhas para a vacinação.

A pedido do TCE, a Diretoria de Contas de Gestão (DGE) do Tribunal de Contas quer que o governo responda duas perguntas: “qual a quantidade de insumos atualmente em estoque para ser usada especificamente na campanha de vacinação da covid-19, não incluindo nos números eventuais insumos que sejam utilizados para outras campanhas de vacinação já previstas no calendário; e se existe previsão para a entrega de insumos que já tenham sido comprados, incluindo as quantidades (por tipo de insumo) e as datas estimadas para a entrega”.

O detalhamento pedido pelo TCE vem depois de um outro documento que a secretaria respondeu ao próprio órgão, em 11 de janeiro, sobre a preparação do Estado para a campanha de vacinação contra o coronavírus. A secretaria de Saúde diz que os insumos seriam comprados pelo Ministério da Saúde, que lançou edital em 14 de dezembro para a compra de 331 milhões de seringas e agulhas.

Além disso, afirmou que o estoque no almoxarifado da Superintendência de Vigilância em Saúde tinha 4,1 milhões de agulhas de diferentes calibres e tamanhos e de 5,8 milhões de seringas, sem especificar se esses insumos são os indicados para a vacinação contra a covid-19.

Leia na íntegra: NSC

Compartilhar