Bolsistas reivindicam da Fapesp prorrogação de bolsas e estudo de impactos da Covid-19

Grupo diz que home office inadequado, laboratórios fechados e suspensão de viagens inviabilizam entrega de pesquisas dentro do prazo, aponta Folha

Bolsistas da Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo) estão descontentes com as medidas tomadas pela instituição para mitigar os impactos da pandemia de Covid-19 em suas pesquisas.

A Fapesp é a responsável pela maior parte do financiamento de pesquisa no Brasil. Além da concessão de bolsas e auxílio à pesquisa na pós-graduação, o órgão também financia grandes projetos de infraestrutura no país.

Saiu dos cofres da fundação o recurso para erguer o maior acelerador de partículas da América Latina, o Sirius, em Campinas. Também recebeu financiamento da fundação o navio oceanográfico Alpha Crucis, do Instituto Oceanográfico da USP (Universidade de São Paulo), em 2012.

Em uma carta que será enviada ao conselho superior da fundação e à qual a Folha teve acesso, os pesquisadores bolsistas reclamam da curta prorrogação dada à concessão das bolsas de estudo durante a pandemia, de apenas dois meses além do prazo estipulado.

Leia na íntegra: Folha de S. Paulo

Compartilhar