Brasil tem maior número de estados sem aulas presenciais desde reabertura das escolas, em julho de 2020

Enquanto isso, países com vacinação da Covid-19 avançada, como os Estados Unidos, se planejam para a reabertura completa, com todos os alunos em sala em tempo integral já no 2º semestre de 2021, aponta O Globo

A expectativa — a bem dizer, a torcida — era de um 2021 diferente. Mas, diante da escalada de casos e mortes por Covid-19 este ano, pais, alunos, professores e toda a comunidade escolar tiveram que encarar uma dura realidade. Neste começo de abril, o Brasil vive o momento com mais escolas fechadas desde julho de 2020, quando teve início o processo de retorno às aulas presenciais.

Atualmente, segundo levantamento da Federação Nacional das Escolas Particulares (Fenep), 19 estados proíbem atividades educacionais de estabelecimentos privados de ensino. Entre as redes estaduais, são 23 com aulas apenas remotas, segundo dados do Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed).

A má gestão da pandemia levou o Brasil ao topo de um ranking elaborado pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) de países com mais dias de escolas fechadas. O Chile, por exemplo, fechou por 80 dias, e a Colômbia por 150 e a Costa Rica por 180. Países com vacinação da Covid-19 avançada, como os Estados Unidos, se planejam para a reabertura completa, com todos os alunos em sala em tempo integral, já no 2º semestre de 2021.

Leia na íntegra: O Globo

Compartilhar