Pesquisadores brasileiros deixam de assinar estudos científicos por medo de ataques

Matéria do Jornal Nacional destaca que a Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência prepara um dossiê para denunciar os ataques e ameaças sofridos por cientistas brasileiros

A comunidade científica internacional recebeu um alerta sobre o momento especialmente difícil que os pesquisadores brasileiros estão enfrentando. Eles estão com medo de publicar estudos, conforme destaca matéria do Jornal Nacional.

Um texto publicado pela Science, uma das revistas científicas mais prestigiadas do mundo, retrata o clima em que trabalham atualmente os cientistas brasileiros: é um ambiente hostil.

O artigo lembra que, em 2019, o presidente Jair Bolsonaro demitiu o presidente do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais. Ricardo Galvão foi acusado de mentir sobre os dados do desmatamento da Amazônia que o Inpe obtém por meio de imagens de satélite.

No começo de 2021, o epidemiologista Pedro Hallal, que coordena uma pesquisa da Covid na Universidade Federal de Pelotas, foi ameaçado de demissão por ter criticado o presidente Bolsonaro. Ele assinou um termo de ajustamento de conduta, se comprometendo a não fazer críticas no ambiente de trabalho.

A Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência prepara um dossiê para denunciar os ataques e ameaças sofridos por cientistas brasileiros.

Veja a reportagem na íntegra: G1

Compartilhar