Professores da USP em São Carlos vão coordenar áreas científicas da Fapesp

Membros atuam na análise e priorização das solicitações à Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo e são escolhidos após consulta às lideranças acadêmicas de cada área, destaca Jornal da USP

Duas docentes do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, assumiram recentemente cargos de coordenação em uma das maiores agências de fomento do País: a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp).

Professora titular do Departamento de Ciências de Computação, Agma Traina assumiu em março deste ano a coordenação adjunta de Pesquisa para Inovação, com mandato de três anos. Ela também foi coordenadora da área de Ciências e Engenharia de Computação no período de outubro de 2019 até abril de 2021. “Acho que é importante termos representantes do ICMC nas agências de fomento, pois lá podemos contribuir com propostas, novas ideias e aperfeiçoamento também dos procedimentos em gestão e processos”, afirma Agma.

A professora tem Bacharelado em Ciências de Computação e mestrado em Ciências de Computação e Matemática Computacional pelo ICMC, além de doutorado em Física Aplicada pelo Instituto de Física de São Carlos. Suas pesquisas concentram-se nas áreas de indexação e recuperação por conteúdo de dados complexos, consultas por similaridade, visualização de dados, mineração visual de dados e processamento de imagens e vídeo, com aplicações para as áreas de medicina e agroclimatologia.

Também em março deste ano, a docente Elisa Nakagawa assumiu o cargo de coordenadora da área de Ciências e Engenharia de Computação, com mandato até março de 2024.

Professora associada do Departamento de Sistemas de Computação, Elisa possui Bacharelado em Ciências de Computação, mestrado e doutorado em Ciências de Computação e Matemática Computacional pelo ICMC. Suas principais contribuições de pesquisa concentram-se na área de engenharia de software, em particular, em arquitetura de software, arquitetura de referência, sistemas-de-sistemas e engenharia de software baseada em evidência e saúde.

Leia mais: Jornal da USP

Compartilhar