Governo sabia desde agosto que verba era insuficiente para pagar 60 mil bolsistas da Capes

Estudantes que eram contemplados relatam dificuldades para pagar contas básicas e buscam trabalho fora para conseguir se manter, destaca o Estadão

O governo federal sabia, desde agosto, que não haveria dinheiro suficiente para pagar as bolsas da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) voltadas para a formação de professores. Neste mês, os 60 mil auxílios de dois programas estão atrasados e não há previsão de quando serão retomados. Estudantes que recebiam as bolsas relatam dificuldades para pagar as contas básicas e buscam trabalho fora para conseguir se manter. 

Em um ofício ao Ministério da Economia, enviado em agosto, o Ministério da Educação apontava a necessidade de suplementação de recursos para bolsas da Capes ligadas à educação básica. Esses auxílios são pagos a estudantes de licenciaturas para desenvolver atividades em escolas. Na pandemia, por exemplo, os bolsistas ajudaram os professores no ensino remoto.  

Leia na íntegra: Estadão

Compartilhar