Três réus da Operação Ouvidos Moucos assinam acordos com a Justiça Federal

Denunciados confessaram crimes e se comprometeram a pagar cestas básicas para encerrar processos; outros 10 pessoas ainda respondem à ação, aponta a NSC

Três réus denunciados na operação Ouvidos Moucos, que apura suposto desvio de recursos públicos no ensino a distância na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), fizeram acordos de não persecução penal com a Justiça Federal.

Nos acordos, os réus confessam os crimes pelos quais foram denunciados e se comprometem a pagar cestas básicas em troca do fim dos processos contra eles.

A NSC teve acesso aos despachos judiciais que homologaram os acordos entre os réus e a 1ª Vara da Justiça Federal em Florianópolis. Eles foram assinados entre 17 e 21 de fevereiro.

Um dos réus que fizeram acordo foi Mikhail Cancellier, filho do ex-reitor Luiz Carlos Cancellier, que havia sido denunciado por peculato — obter vantagem indevida por conta da função. No acordo, Mikhail Cancellier se compromete a pagar R$ 11,5 mil em cestas básicas para instituições beneficentes.

Outro réu que assinou o acordo foi André Luis da Silva Leite, denunciado pelo Ministério Público Federal por peculato. Ele também se comprometeu a pagar R$ 11,5 mil em cestas básicas. Por fim, Gabriela Silveira Fiates, que também respondia pelo crime de peculato, assinou acordo para o pagamento de R$ 5,2 mil em cestas básicas para instituição beneficente indicada pela Justiça. Ela também se comprometeu a cumprir duas horas por mês de serviço comunitário, durante um ano.

Leia na íntegra: NSC

Compartilhar