Entidades científicas criticam propostas de SUS pago e de mensalidade em universidades públicas

Iniciativa para a Ciência e Tecnologia no Parlamento afirma que o projeto militar é “contrário aos valores éticos e políticos que norteiam a Constituição cidadã de 1988”, destaca o Estadão

Iniciativa para a Ciência e Tecnologia no Parlamento (ICTP.Br) – composta por entidades como Academia Brasileira de Ciências (ABC), Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes) e Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) – publicou nesta quarta-feira, dia 26, comunicado contrário à “proposta demagógica de cobrar mensalidades no ensino superior público”.

A nota da ICTP.Br foi publicada em posicionamento crítico após matéria do Estadão revelar o projeto de militares, ligados aos Institutos Villas Bôas, Sagres e Federalista, sugerindo a cobrar mensalidades em universidades federais, além de propor a ‘neutralização’ de ideologias de ensino. A criação de mensalidades em instituições públicas de ensino superior também é tema da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 206, que entrou na pauta da Comissão de Constituição e Justiça da Câmara.

Na carta, a ICTP.Br chama essas ideias militares de “projeto de Brasil contrário aos valores éticos e políticos que norteiam a Constituição cidadã de 1988”. E diz que isso “criaria uma grande burocracia para identificar os alunos que podem pagar e os que não podem, sendo que a justiça social pode ser muito mais bem promovida pela progressividade das alíquotas no imposto de renda (federal), no imposto sobre veículos automotores (estadual) e no imposto predial e territorial urbano (municipal)”.

Leia na íntegra: Estadão 

Compartilhar