Brasil tem melhor resultado da história na Olimpíada Internacional de Matemática

Destinada a estudantes do Ensino Médio, o time nacional fez 165 pontos e conquistou o 10º lugar entre os 105 países participantes

A equipe brasileira alcançou a melhor colocação da história do país na Olimpíada Internacional de Matemática (IMO, na sigla inglês). Com uma medalha de ouro e cinco de prata, o time nacional fez 165 pontos e conquistou o 10º lugar entre os 105 países participantes. Os resultados da competição, que foi realizada em um novo formato por causa da Covid-19, foram anunciados neste domingo (27). A cerimônia de encerramento foi realizada por vídeo, nesta segunda-feira (28). 

O ouro brasileiro foi conquistado por Pedro Gomes Cabral, de Fortaleza (CE). Bernardo Peruzzo Trevizan, de São Paulo (SP); Guilherme Zeus Dantas e Moura, de Maricá (RJ); Francisco Moreira Machado Neto, de Fortaleza (CE); Gabriel Ribeiro Paiva, de Fortaleza (CE); e Pablo Andrade Carvalho Barros, de Teresina (PI), conquistaram a prata.

“Fiquei me sentindo bastante feliz. Foi uma ótima recompensa por todo o esforço que eu coloquei nessa minha preparação nos últimos cinco anos. A dedicação contínua, as aulas preparatórias do meu colégio e os treinamentos proporcionados pela OBM (Olimpíada Brasileira de Matemática) me ajudaram muito”, comemora Pedro Cabral.

Liderados por Carlos Gustavo Moreira (IMPA), o Gugu, e Matheus Secco (Academia de Ciências Tcheca), os estudantes, medalhistas da 41ª Olimpíada Brasileira de Matemática (OBM), passaram por três testes seletivos e um intenso treinamento. “Estamos muito contentes com o resultado brasileiro, que foi bastante homogêneo – todos os alunos foram muito bem. Isso mostra o vigor e a solidez do nosso programa de Olimpíadas, formado a partir da OBM, que tem mais de 40 anos de tradição e conta com uma equipe de voluntários de excelente nível”, pontuou Gugu.

Para Matheus, a conquista é resultado de um trabalho sério de preparação de alunos, que vem sendo executado desde a década de 90. “Já perseguíamos o top 10 há bastante tempo. Este ano, tivemos a coroação deste trabalho. Tivemos uma equipe muito competitiva, os testes de seleção foram acirrados e tínhamos boas expectativas.” 

A 61ª IMO aconteceria em São Petersburgo, na Rússia, mas precisou ser adaptada para um novo formato por conta da pandemia. As provas foram realizadas em 21 e 22 de setembro em centros de aplicação de cada país selecionados pelo conselho consultivo da IMO. No Brasil, os exames foram aplicados na Universidade Federal do Ceará (UFC) e no IMPA. Para proporcionar integração entre estudantes e matemáticos, prejudicada pela ausência de uma sede da competição, a edição deste ano contou uma série de atividades virtuais pelas redes sociais. 

Realizada desde 1959, a IMO é destinada a estudantes do Ensino Médio com idades entre 14 e 19 anos e que não tenham ingressado na universidade. Cada time é composto por uma equipe de até seis estudantes. Com 142 medalhas, o Brasil é o país latino-americano com maior número de premiações na competição.

Fonte: IMPA

Compartilhar