Butantan faz novo pedido de uso emergencial da CoronaVac fabricada no Brasil

Diário Catarinense mostra que a autorização concedida pela Anvisa no domingo (17) era apenas para as 6 milhões de doses importadas da China

O Instituto Butantan fez nesta segunda-feira (18) um novo pedido de autorização de uso emergencial da CoronaVac para a Anvisa. A liberação concedida pela agência neste domingo (17) era apenas para os 6 milhões de doses da vacina contra o coronavírus que foram importadas da China, fabricadas pelo laboratório Sinovac. Agora, o Butantan pediu a aprovação do uso das doses feitas no Brasil.

Segundo o G1, o pedido foi confirmado pelo diretor do instituto, Dimas Covas, e recebido pela Anvisa — que afirmou estar checando os documentos. Atualmente, o Butantan tem 4,8 milhões de doses prontas e estocadas, aguardando autorização da Anvisa. A partir de uma decisão favorável da agência, todos os novos lotes fabricados no Brasil estarão liberados para uso.

— Não haverá necessidade de todo lote ser requisitado. Poderemos chegar aí à produção adicional de 35 milhões, já descontando essas 4 milhões. E, eventualmente, no acréscimo que inclusive já foi mencionado ao Ministério de 56 milhões de doses adicionais. Esperamos que essa autorização aconteça o mais rapidamente possível — disse Dimas Covas durante coletiva de imprensa.

Conforme o Butantan, a própria Anvisa teria orientado que os pedidos fossem feitos separadamente, para as doses importadas e nacionais. Covas afirmou que o instituto tem capacidade para produzir 1 milhão de doses por dia, mas depende da matéria-prima importada.

Fonte: NSC

Leia mais:

Professores universitários estarão entre grupos prioritários para vacinação

Sindicatos de Professores de Ensino Superior do país lançam campanhas pela vacinação

Compartilhar