Nota da Diretoria: Atos Criminosos

Ficamos extremamente chocados com a notícia, na forma de denúncia, veiculada na semana passada, que tornou pública uma troca de mensagens da Delegada da Polícia Federal, Sra. Érika Marena. De acordo com a reportagem, ela lavrou termo de depoimento de uma testemunha que não fora ouvida em um importante e famoso inquérito no âmbito da operação da Lava-Jato.

Até agora não desmentida, tal informação revela e reforça um tipo de comportamento e de método já amplamente denunciado nacionalmente quando da operação Ouvidos Moucos, que levou ao suicídio do nosso reitor Luís Carlos Cancellier Olivo, em 2018.

É preciso que se apure a conduta dessa delegada. E em tendo praticado ato ilegal, como está sendo noticiado nos órgãos de imprensa, que seja punida! É preciso combater o arbítrio, o abuso de poder, resgatando e protegendo o estado democrático de direito. Ainda que não possamos trazer de volta o prof. Cancellier, os responsáveis pelo seu sofrimento, humilhação e destino precisam ser responsabilizados.

A UFSC e sua comunidade, os familiares do professor Cancellier e a sociedade brasileira clamam por justiça. Portanto, pedimos que os órgãos de correção policial e o poder judiciário ajam imediatamente diante das informações que se tornaram públicas e aos atos ilegais e imorais eventualmente praticados.  

Diretoria da Apufsc

Compartilhar