Mais de 90% da escolas públicas enfrentaram falta de equipamentos durante a pandemia

Pesquisa divulgada pelo Estadão revela dificuldade encontrada pelas escolas públicas durante a pandemia

O ensino remoto, que acontece há mais de um ano em muitas instituições, revelou a dificuldade das escolas em adaptar o conteúdo letivo para crianças e adolescentes em casa durante a pandemia. Segundo a pesquisa TIC Educação, do Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação (Cetic.br), ligado ao Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br), cerca de 95% das escolas estaduais tiveram problemas com a falta de celulares e computadores, enquanto 77% das escolas municipais encontraram dificuldades em atender alunos em situação de vulnerabilidade social. 

A pesquisa, realizada de setembro de 2020 a julho de 2021, demonstrou ainda que apenas 21% das escolas brasileiras tinham alguma estrutura para oferecer aulas remotas para seus estudantes. Entre as particulares, esse número sobe para 37%, mas nas escolas públicas estaduais o percentual passa para 22% e nas municipais, apenas 14%. 

A tecnologia, porém, ainda foi a maior aliada das escolas durante o período de aulas em casa ou em regime híbrido. Cerca de 87% delas utilizaram algum tipo de atividade tecnológica na hora de adaptar o ensino. As maiores ‘pedras no caminho’ dessa adequação foram as plataformas de videochamada, como Zoom e Google Meet: apenas 58% das instituições se valeram dessas ferramentas.

Leia na íntegra: Estadão

Compartilhar