Nota da Diretoria: Respeito ao resultado da consulta pública para a Reitoria

Como Sindicato que co-patrocinou a consulta informal, não podemos oferecer reconhecimento de legitimidade à inscrição de nomes que não participaram da mesma

Há décadas a UFSC vem praticando uma consulta informal para a Reitoria, patrocinada pelas entidades representativas da comunidade universitária, como prévia à eleição legal feita no e pelo Conselho Universitário (CUn). E, diga-se de passagem, não somos a única universidade federal que adota tal procedimento, dado que a legislação que rege essa matéria impõe regras que desagradam a maioria da comunidade universitária e limitam a autonomia das universidades.

A consulta, como já argumentamos em nota, produz maior legitimidade à chapa escolhida, possibilita e amplifica o debate das propostas e também uma participação direta das pessoas que compõem os três segmentos (docentes, alunos e técnicos).

Historicamente, a chapa escolhida na consulta é a única a se inscrever na eleição legal no CUn, onde a mesma indica ainda os nomes que irão formar a lista tríplice para envio e escolha por parte do presidente da República. Bem ou mal, foi esse o sistema que produziu governabilidade na UFSC até agora. 

Contudo, as inscrições no CUn são livres e, desde que preencha alguns requisitos legais, qualquer docente pode nele se inscrever, mesmo sem ter participado na consulta informal. Situação essa que agora está colocada, pois além da chapa vencedora no segundo turno, ocorrido no último dia 26, formada pelo professor Irineu de Souza e pela professora Joana Passos, também foi registrada uma outra chapa que não participou da consulta.

Mesmo que seja legal esse tipo de inscrição, ela rompe com a tradição democrática e gera instabilidade política, em um quadro já conturbado, fruto do frequente desrespeito do presidente da República nas nomeações que faz das Reitorias das universidades federais.

Portanto, como Sindicato que co-patrocinou a consulta informal, não podemos oferecer reconhecimento de legitimidade à inscrição de nomes que não participaram da mesma. O que solicitamos é que os conselheiros e conselheiras do CUn respeitem a consulta e votem apenas e tão somente na chapa vencedora, formada pelo professor Irineu e pela professora Joana, bem como nos outros nomes indicados pelos mesmos, de modo a compor a lista tríplice.

De nossa parte, reafirmamos nosso empenho em trabalhar para garantir o respeito à vontade da comunidade universitária até o final, que termina como a nomeação dos indicados na consulta. Continuaremos também trabalhando para que a legislação relativa às eleições de reitorias seja alterada e que esteja em plena consonância com o princípio da autonomia universitária.

Diretoria da Apufsc-Sindical

Compartilhar