Assembleia da Apufsc, realizada nesta quinta-feira, discutiu campanha salarial e condições de trabalho

Essa foi a primeira reunião presencial desde o início da pandemia

A Apufsc-Sindical realizou nesta quinta-feira, dia 28, uma Assembleia Geral Extraordinária para discutir campanha salarial, condições de trabalho da categoria e assuntos gerais. Foi a primeira reunião presencial desde o início da pandemia e aconteceu no Auditório Henrique Fontes, no Centro de Comunicação e Expressão (CCE) da UFSC. Por falta de quórum, a AGE não foi deliberativa.

Inicialmente, estava previsto que os filiados e filiadas dos campi participariam nas sedes da Apufsc, que estariam conectadas pela plataforma Zoom. A reunião também seria transmitida no hall do CCE para quem quisesse acompanhar do lado de fora do prédio. Porém, devido problemas de conexão com a internet em parte do campus de Florianópolis, a assembleia não pôde ser transmitida.

O presidente da Apufsc, professor Bebeto Marques, abriu a AGE apresentando a pauta do dia. Em seguida, passou a palavra a representantes do Sintufsc para atualizarem os professores sobre a mobilização dos técnicos-administrativos, que estão em greve desde o dia 4 de abril por reajuste salarial.

A AGE foi dividida em três etapas para discutir os três tópicos da pauta. Em cada momento, houve exposição da mesa e fala dos professores inscritos. O presidente da Apufsc apresentou informações sobre as perdas salariais dos professores e explicou a mobilização nacional sobre reajuste salarial. Depois, fez uma apresentação sobre as condições de trabalho dos professores. Em ambos os momentos, os filiados e filiadas discutiram estratégias de mobilização pela valorização do serviço público e da educação pública.

Por fim, no tópico de assuntos gerais, foi discutida a eleição para Reitoria da UFSC. O presidente da Apufsc destacou a publicação de uma nota da diretoria sobre o assunto. Os professores presentes discutiram a importância de se respeitar o resultado da consulta pública realizada pela Comissão Eleitoral das Entidades Representativas da UFSC (Comeleufsc) e a defesa da autonomia da universidade.

Uma série de sugestões feitas pelos docentes foram acolhidas pela diretoria e uma síntese delas será divulgada em breve. Entre os encaminhamentos propostos estão a ida aos departamentos para se discutir a questão salarial e condições de trabalho, o envolvimento com atividades nacionais para uma grande mobilização prevista para maio por reajuste salarial. As entidades nacionais vão intensificar a pressão por reajuste, para que o aumento seja incluído já na folha de pagamento de julho e a Apufsc vai se engajar ao calendário definido nacionalmente.

Imprensa Apufsc

Compartilhar