Indicadores de nove das 20 metas do Plano de Educação pioraram, diz relatório

Metas foram estabelecidas em 2014 e devem ser cumpridas até 2024; cinco foram “parcialmente cumpridas”, destaca o UOL

Ampliar investimento público, aumentar a taxa de matrícula no ensino superior e universalizar ensino para adolescentes de 15 a 17 anos. Essas são algumas metas que estão previstas no Plano Nacional de Educação (PNE) que devem ser cumpridas até 2024, mas não avançaram nos últimos anos —diferente disso, apresentaram queda em seus indicadores, segundo relatório divulgado, nesta segunda-feira, dia 20, pela Campanha Nacional pelo Direito à Educação.

Das 20 metas incluídas no plano, nove delas não foram concluídas até agora e tiveram piora nos números. Outras cinco estão “parcialmente cumpridas”, de acordo com a análise obtida pelo UOL.

Um dos objetivos que apresentou retrocesso foi o de “universalizar o ensino fundamental de nove anos para toda população de seis a 14 anos e garantir que pelo menos 95% dos alunos concluam a etapa na idade recomendada”.

No entanto, com a pandemia de covid-19, dobrou o número de crianças nessa faixa etária que não frequentam nem concluíram essa etapa na escola de 2020 para 2021.

  • Em 2020, eram 540 mil crianças e adolescentes com idade entre 6 e 14 anos fora do ensino fundamental;
  • Em 2021, esse número passou para 1,072 milhão.

Leia na íntegra: UOL

Compartilhar